Será o fim do iPod? Ou ele já chegou ao fim há muito tempo e não percebemos?

Por: | 06:21 Deixe um comentário

Desde meados de 2013 e, mais recentemente, nesta semana, voltaram a pauta dos sites de música e tecnologia a discussão sobre o fim do iPod, ou, ao menos, o fim da sua versão clássica, e ainda tendo o iPod shuffle alguma sobrevida garantida, embora a Apple ainda não tenha feito um pronunciamento oficial até o fechamento desta edição deste post.

A discussão sobre o fim da linha desse aparelhinho tão querido pelos fãs de música (os que se dispuseram a pagar caro por ele, pelo menos) de grande parte do mundo é uma mistura de nostalgia com os sintomas das mudanças da nossa forma de consumir música?

iPod fim



Há quanto tempo você não compra um CD? Ou baixa uma música para o seu HD? 


Os CD´s nem precisa se comentar muito, já estão quase tão ultrapassados como os LP´s, aliás, os bolachões tem um presente e futuro muito mais promissor, como item raro e caro de colecionadores e fãs de música. Mas essa é outra discussão.

Apenas para dar um exemplo, recentemente quis baixar alguns álbuns para colocar no meu pen drive e ouvir no carro. Sabe o que eu descobri? Que não sabia mais baixar mp3. Levei uns dias e um post no Facebook para saber como fazer.

Mas qual o motivo disso?


Além do Youtube, os serviços de streaming, pagos e gratuitos, estão fazendo um grande serviço para os fãs de música. Ao invés das "1000 músicas no seu bolso" que a Apple vendia com o iPod, hoje temos um número praticamente infinito de música que estão na "nuvem".

Teoricamente, todas as músicas já gravadas em formato digital no mundo estão ao alcance de qualquer que tenha uma conexão de internet minimamente decente através de serviços como Grooveshark, Rdio, Spotify, Last.fm, Deezer... somando apenas o acervo disponível nestes serviços mais famosos, de quantas músicas estamos falando? 1 milhão? 2 milhões? 10 milhões de músicas? Não sou bom de matemática, mas acho que é um pouco mais que mil.

Além disso, há também o canibalismo digital. Se um iPod era um grande avanço em 2001, o ano de seu lançamento, hoje qualquer smartphone de R$500 cumpre o papel de um iPod. Os modelos mais avançados de smartphones e tablets então, nem se comenta, só falta passar um café e fazer um cafuné.

O iPod já morreu faz tempo, hoje em dia ele é um morto-vivo apenas esperando o golpe derradeiro para que ele possa descansar em paz no cemitério das tecnologias obsoletas.

0 comentários:

Postar um comentário