Saiba mais sobre o 'pescoço tecnológico' e outros males similares

Por: | 05:10 Deixe um comentário
Que a tecnologia muda nossos hábitos o tempo inteiro, já sabemos. Mas, muitas vezes, estamos exagerando e já temos algumas doenças diretamente relacionadas ao uso excessivo de aparatos tecnológicos. Recentemente, foi noticiado em diversos portais que o uso de smartphones vem criando uma epidemia mundial de "pescoço tecnológico" (ou síndrome do text neck). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cabeça de uma pessoa adulta varia entre 5 e 8 quilos, mas, à medida que curvamos o pescoço para frente e para baixo, temos um aumento da pressão sobre a coluna cervical.


Um estudo realizado pelo Centro Médico de Cirurgia Espinhal e Reabilitação de Nova York mostrou que, com um ângulo de curvatura do pescoço a 15 graus, a carga sobre a coluna cervical pode ser de cerca de 12 quilos. Dependendo do nível inclinação, podemos ter um peso de quase 30 quilos nos pressionando. Isso pode acabar causando um desgaste da coluna e sobrecarregar as vértebras. Em casos mais complicados, as pessoas podem ter compressão dos nervos e até mesmo hérnias de disco. Então, fique atento às dores no pescoço e na região superior das costas. Quando se trata de crianças, o problema pode ter consequências ainda mais graves, pois é fase de desenvolvimento da estrutura óssea e o uso desenfreado dos smartphones pode comprometer o crescimento.

Para evitar esse tipo de problema, tente deslocar menos o pescoço na hora de olhar para o seu smartphone, deslocando mais os seus olhos. No entanto, o mais indicado mesmo é diminuir o tempo que você passa todo curvado com os olhos grudados no seu celular. Venha relembrar com a gente outras doenças desse tipo. Confira a lista abaixo:

Whatsappinite

Sabe tendinite? Essa com certeza você já ouviu falar. Whatsappinite nada mais é do que uma crise de tendinite, inflamação nos punhos e polegares, causada pelo uso por um longo período de tempo do WhatsApp. Sabe aquela DR repleta de textos por meio do aplicativo de mensagens instantâneas? Tente não fazer dele um hábito. E o mal é real. Em 2014, uma médica da Espanha registrou um caso na revista de medicina "The Lancet".

Digamos que não se trata necessariamente de uma novidade esse tipo de abordagem médica da inflamação. Nos anos 1990, já era discutida a existência da "Nintendinite", sofrida por alguns viciados em videogame.

Síndrome do toque fantasma

Sabe aquela cena de filmes onde a mocinha (ou o mocinho) fica ansioso ao lado do telefone de casa esperando a ligação do ser amado? Já faz tempo que isso não acontece mais. Nosso celular geralmente está praticamente grudado ao nosso corpo 24 horas por dia. O comum agora é nós irmos ansiosos pegar o telefone da bolsa, do bolso ou da mochila achando que sentimos ele vibrar - por uma ligação ou notificação -. Pois saiba que tem gente que faz isso de maneira compulsória. Uma confusão no cérebro faz com que as pessoas imaginem que estão recebendo chamadas ou mensagens. A constatação foi do autor do livro iDisorder, Dr. Larry Rosen.

Cibercondria

Vai ser difícil alguém dizer que nunca foi buscar sintomas de algum mal estar na Internet. Pois as consultas ao doutor Google muitas vezes acabam passando dos limites. Em alguns casos, a pessoa lê sobre seus sintomas, encaixa seu quadro em alguma das doenças que descobriu online e acaba tendo até mesmo crises de ansiedade por causa disso. É a chamada Cibercondria ou Hipocondria Digital. Tome muito cuidado e não deixe de se consultar com um médico antes de se desesperar com qualquer diagnóstico virtual.

Nomophobia

Esse é o nome dado à extrema ansiedade quando as pessoas se veem sem seu smartphone.Nomophobia é abreviatura de “no-mobile phobia” (pavor de ficar sem o celular).

Síndrome do Olho Seco

O excesso de luz dos nossos aparelhinhos podem acabar prejudicando a nossa visão. Irritação, ardor e sensação de areia nos olhos podem significar que temos a síndrome do olho seco. Essa síndrome é a segunda maior causa de atendimentos nos consultórios de oftalmologia. É importante ressaltar que esse mal não é estritamente tecnológico. Os outros sintomas são: cansaço evidente da vista em frente ao computador, incômodo em ambientes com ar condicionado e olhos embaçados ao fim do dia.

Será que você sofre de alguma dessas doenças "moderninhas"? Fique de olho e sempre nos lembremos de que excessos não fazem bem nunca, não seria diferente com a tecnologia.

0 comentários:

Postar um comentário